A voz de Deus é poderosa, faz executar exatamente o que ela fala independente do fator tempo. Quer experimentar? Entre!

As vitaminas + importante para o homem | 09Set2007 21:10:00

Publicado por: Megatomaz On-Line

E agora, para facilitar ` dona de casa a sua tarefa cheia de responsabilidade e de tco grandes conseqüências, ha que ter em conta as seguintes regras, que solucionam os problemas ati aqui apresentados:
1. Todas as refeigues devem comegar com alimentos crus, conforme o permitir a ipoca do ano. A nossa nutrigco exige que estes alimentos constituam, como mmnimo, a dicima parte do regime total.

2. Uma alimentagco em que predomine farinha integral, leite e produtos lacteos, nozes, frutas, legumes, verduras, tubirculos e ramzes raladas, batatas cozidas sem descasca-las, frutos tropicais, pco integral e, azeite vegetal extramdo a frio, considerando completamente ocasional a carne, o peixe, os ovos e os [(,gumes secos - tudo isto conserva o homem sco e aumenta-lhe a capacidade de rendimento.

3. Uma alimentagco que consista predominantemente em produtos cozidos, carne, gorduras consistentes animais e vegetais, batatas cozidas descascadas, conservas, pastas, sjmolas, farinha branca, arroz branco, pco branco, agzcar branco, sal branco, cha, cafi e muito pouco leite - i uma nutrigco sem nenhum valor, que a longo prazo leva a alteragues enfermigas crtnicas. Sco estas a base para a formagco de alteragues celulares (cbncer) e o ambiente mais propmcio para a criagco e multiplicagco de bactirias nocivas ` sazde.

4 . A znica medida para calcular pessoalmente se a alimentagco i apropriada i constitumda pelo bem-estar e capacidade de rendimento, e nco pelos quadros de calorias nem pelos sistemas de alimentagco.

5. A simplicidade e a moderagco na alimentagco sco normas que nenhuma teoria nem doutrina alimentar tjm podido destruir.

6. Para comer i necessario tem-

52

po e esse tempo deve dedicar-se ` mastigagco. Por isso, a alimentagco deve incluir algo que se mastigue. O pco integral, as nozes e as frutas devem recomendar-se cuidadosamente.

7. Ss os alimentos naturais crus i que sco autjnticos alimentos.

8. A quantidade de consumo de sal esta numa proporgco inversa com a qualidade dos alimentos. Para um alimento que conserva todo o seu valor, o juntar-lhe sal nco ss i supirfluo como tambim prejudicial. Os alimentos naturais contjm quantidades suficientes de ssdio e de cloro, os dois elementos componentes do sal.

9. O olfato intervim na comida; o aroma e o gosto dos alimentos influem na sua qualidade e na sua utilidade.

10. O profundo respeito para com a Natureza implica um profundo respeito pelas maravilhas da alimentagco e suas conseqüências.

Quem depois destas explicagues necessarias sobre as insuficijncias do nosso atual mitodo de alimentagco se der ao trabalho de me seguir no mundo maravilhoso, variado e misterioso de cada um dos nossos alimentos, obtera para si e para os seus uma fortuna. Nisso sera auxiliado pelo depssito inesgotavel da Natureza e pelo espmrito que a anima.

Antes de nos dedicarmos a cada um dos varios alimentos, daremos esclarecimentos sobre um problema fundamental. I necessaria uma colaboragco cheia de compreensco entre midicos. bromatslogos, agricultores, criadores de gado, qummicos, se quisermos realmente chegar a uma solugco satisfatsria do problema de obter uma alimentagco racional. Em todo o caso, fica de pi a velha verdade de que as plantas, os animais e os homens ss se podem desenvolver e manter-se scos num solo tambim sco. I nosso propssito principal aproveitar, dentro dos limites impostos pelas leis naturais, as possibilidades que nos oferece o trabalho e o solo, o cultivo das plantas e a criagco de animais para participarmos realmente na grande obra criadora da Natureza e chegarmos a obter uma verdadeira agricultura de exploragco da Natureza.

Mas se pretendermos apenas aproveitar as relagues biolsgicas sem respeitar a lei natural e pensarmos apenas no benefmcio a obter, entco a Natureza voltar-se-a contra nss mesmos, respondendo-nos com a infertilidade do solo e com as doengas das plantas, dos animais e do homem.

Em todas as medidas agrmcolas deve-se ter sempre presente que hco de servir nco ss para produzir a quantidade necessaria de alimento como tambim para melhorar a sua qualidade e aumentar o seu valor biolsgico.

Se, porim, o cultivo das plantas, a obtengco de alimentos nas hortas, nos campos e nos rebanhos se efetuarem conforme as leis biolsgicas basicas, entco, de uma terra sc surgira uma vida sc.

Quadro das Vitaminas Mais Importantes Para o Homem

A) Vitaminas lipossolúveis

Denominação
alfabética

Denominação
química

Função
característica

Modo de atuação

Fontes
naturais

Vitamina A

(Provitamina:

carotenos)

Axeroftol

Vitamina de proteção
epitelial, antiinfecciosa
e antixei oftálmica

Para o estado e função normais da pele, niucosas e outras céluIas de revestimento das glândulas salivares. Protege o fígado. É provável a sua considerável influência no desenvolvimento corporal.

Nas plantas como provitaminas
(carotenos). As printipais fontes vegetais de vitamina A são: Favas.
Cevada. Laranjas.
As fontes animais são:
Óleo de fígado de bacalhau. Manteiga.
Gema de ovo.
Leite completo.
Nata.
Queijo

 

Necessidades diárias
do hornem

Fenônenos produzidos pelas
carências vitamínicas

Doenças que o emprego de vitamina cura ou melhora

Adultos:
5000 U.l. (Unidades Internacionais) aproximadamente.
6000 U.I. na gravidez, aproximadamente.
8000 U.I. na amamentação
aproximadamente.

Crianças:
Menos de 1 ano, 1500 U.I.
aproximadamente.
De 1-3 anos, 2000 U. I. aproximadamente.
De 4-9 anos, 2500-3500 U.I.
aproximadamente.
De 10-12 anos, 4500 U.I.
aproximadamente.

Moças:
De 13-20 anos, 5000 U.l.
aproximadamente.

Rapazes:
De 16-20 anos, 6000 U.l.
aproximadamente.

1 U. 1. corresponde aproximadamente a:

0,6 Y de 3 caroteno. O ,3 Y de álcool de viramina A. O ,344 Y de acetato de vitamina A.

Uma criança, na idade escolar, cobre quase toda a sua nessidade de vitamina A com meio litro de leite.

Secura e queratinização das células, cura deficiente das feridas, alterações e menor capacidade defensiva das mucosas contras as infecções, secreção de ácidos no estômago, tendência para a formação de cálculos, tendência para a diarréia, endurecimento das células de revestimento dos olhos, cegueira noturna.

Durezas da pele, como calos, olhos de galo, verrugas, pele seca, doença de Darier (com espinhas calosas, compactas, arredondadas ou em bico, tonalidade entre pardo e avermelhado, muitas vezes excrecências em forma de couve-flor), acne vulgar (glândulas sebáceas inflamadas), ictiose, queimaduras, úlcera de raios X, varizes, ozena, inflamação da laringe e dos brônquios, inflamação da laringe, inflamação das mucosas da boca, do estômago, com escassez ou falia de ácido, úlcera do estômago e duodeno, inflamação da mucosa do intestino grosso, cegueira noturna, amolecimento e descolantento da córnea, queratose e queratomalacia. Doença de Basedow, funcionamento excessivo das glândulas salivares, cirrose hepática- Repetição de abortos.

Formação de cálculos nas vias urinarias. Secura e estreitantemo dos órgãos sexuais externos femininos, doença não infecciosa da mucosa da vagina.

Denominação
alfabética

Denominação química

Função
característica

Mudo de atuação

  Fontes naturais

Vitamina D
Vitamina D3
Calciférol
A vitamina D3 é
a provitamina natural que antigamente se denominava «vitamina D». A vitamina D3 é um produto de irradiação do 7 - dehidrocolesterol. A vitamina D2 ou calcifecol é um produto de irradiação do ergosterol.
Vitamina anti-raquítica. Regula o metabolismo do fósforo e do cálcio. Melhora, essencialmente, o metabolismo do cálcio e permite a formação do complexo de cálcio-fósforo, necessário para a ossificação normal. Fomenta o desenvolvimento.
Também devem corresponder às vitarrimas D outros efeitos, até agora desconhecidos.
Já se conhece a sua relação com a glândula paratircóide que regula sobretudo o metabolismo do cálcio.
Em óleo de fígado de peixes (emulsões de fígado de bacalhau, atum, mero), leite, ovos, manteiga, levedura.

Vitamina E

Toculecol.

Vitamina da repiodução, utiesterilizante.

Regula o metabolismo da glândula pituitária (hipófise) e influi assim sobre o metabolismo dos hidratos de carbono, do hidrogênio e, sobretudo, dos órgãos sexuais. Atua, também sobre o metabolismo muscular, sobre os vasos ( apilares, facilitando a sua renovação e melhorando a circulação. É importante, além disso, o efeito regenerador nos tecidos conjuntivos.

Grãos de cereal e seus azeites, legumes e verduras, gemas de ovo, leite e manteiga.

Denominação
alfabética

Necessidades diárias no hornem

Fenômenos produzidos pelas carências vitamínicas

Doenças que o emprego da vitamina cura ou melhora

Vitamina D
Vitamina D3

Adultos e crianças:

400-800 U.l.

Durante a gravidez e amantamenração:

800-1000 U. I.

Abortos:

800-1400 U.L

Uma U.l. corresponde a 0,25 gramas de vitamina D2 e D3 pura.

Uma unidade clínica corresponde a 100 U.l.

A presença de vitamina D no organismo deve ser completada, continuamente, pois, do contrário, produz-se

um rápido empobrecimento de vitamina D. Nos lactentes ou infantis, a falta de vitamina D leva ao raquitismo, e à queda prematura dos dentes. Estes não se desenvolvem, estão mal colocados ou apresentam defeitos de estrutura.

Nas crianças mais crescidas e nos adultos, apresentam-se sintomas evidentes de raquitismo, tais como anomalias e deformações do tórax, pélvis, articulações, «colar raquítico» e fraturas de ossos.

Redução e desaparecimento do raquitismo, das tendências epilépticas infantis, estímulo do desenvolvimento dental, enfraquecimento ósseo, descalcificação óssea, reumatismo articular crônico, eczema crônico, tuberculose óssea articular, cutânea e mucosa (lupus vulgaris).

Vitamina E

Não se sabe, com segurança. Calcula-se para o lactente em 5

mg e para o adulto de 10 a 25 mg.

Em várias espécies de animais a falta de vitamina E produz uma atrofia das glândulas germinais (órgãos sexuais), que, em parie, irão se podem regenerar. Noutras espécies, a falta de vitarnina E leva a uma degenerescêricia

de toda a musculatura dos órgãos de movimento, dos órgãos internos ou dos músculos cardíacos. Muitas vezes,

observa-se com a falia de vitamina E uma lesão dos diversos componentes do tecido conjuntivo, nomeadamente no sistema circulatório. A falta de vitamina E causa nos animais degenerescência do fígado e hemorragias, quando falha a função de proteção hepática da vitamina E a respeito de lesões provocadas pela alimentação.

Nos homens tornam-se muito difíceis de comprovar os diferentes sintomas de insuficiência.

1) Perturbações nos órgãos de reprodução, tais como: parto prematuro, aborto, menstruação fraca ou irregular, deficiências nas idades críticas e na gravidez, formação defeituosa do leite.

2) Tendência para partos prematuros e dificuldades de crescimentoe desenvolvimento, durante a amamentaçao.

3) Doenças dos sistemas nervoso e muscular, sobretudo fraqueza muscular, depois de infecções.

4) Doenças do tecido conjuntivo, especialmente as de tipo reumático, como ciática, torcicolo e reumatismo muscular e nervoso.

5) Doenças cardíacas e circulatórias de tipos diversos

6) Queda dos dentes (parodentose)

7) Mau cheiro das fossas nasais.

8) úlceras nas pernas.

Designação alfabética

Designação química

Função característica

Modo de atuar

Fontes naturais

Vitamina K

Filoquinona

Vitamina anti-hemorrágica coagulante.

A vitamina K faz com que o fígado segregue protrombina, Fermento necessário para a coagulação normal do sangue.

Legumes (sobretudo espinafres e as folhas da couve-flor e o repolho), batatas, óleo vegetal e frutas (especialmente tomates, morangos) e gordura de fígado.

B) Vitaminas hidrossolúveis

Designações alfabética e química. Função característica

Modo de atuar

Fontes naturais

Necessidades diárias no homem

Vitamina B1

Aneurina
Tiamina.
Vitamina antineurítica
Vitamina antiberibérica.

Unida a uma molécula de proteína específica, a vitamina 13 desempenha importante papel no metabolismo dos hidratos de carbono (carboxilase). Intervém no metabolismo dos hidratos de carbono. A sua falia produz, por exemplo, a acumulação de ácido pirúvico como substância residual no metabolismo e dá origem, por isso, ao aparecimento de graves doenças, especialmente no sistema nervoso. A vitamina B1 é, sobretudo, uma decisiva substância ativa, no sistema nervoso. A necessidade do seu consumo aumenta no sistema nervoso, consideravelmente, quando se efetua um forte trabalho muscular, com uma alimentação em que predominam hidrocarbonatos. Da mesma maneira, no metabolismo dos hidratos de carbono participa também, a vitamina B1, no metabolismo de gorduras e proteínas, pois que também intervém o ácido pirúvico, como substância intermediária. Por sua vez, também são necessários outros fatores do grupo de vitaminas B.

Cascas e gérmen de cereais, arroz, levedura, legumes, frutas, batatas e leite humano e de vaca.

Homem: 1,2-2,0 mg. Mulher: 1,1-1,5 mg. Durante a gravidez. e lactação, 2,0 mg. Crianças abaixo de um ano, 0,4 mg, aproximadamente.

Entre um e doze anos:
0,6 - 1,0 mg.

Na adolescência:
Rapazes: 1,5 - 1,7 mg. Meninas: 1,2 - 1,3 mg.

1 U.I. corresponde a 3 gramas (isto é, 3/1000 mg de aneurina).

Designações alfabética e química. Função característica

Necessidades diárias no homem

Fenômenos produzidos pelas carências vitamínicas

Doenças que o emprego da vitamina cura ou melhora

Vitamina B1

Aneunina.
Tiamina.
Vitamina antineurítica.
Vitamina antiberibérica.

Os adultos necessitam de uns 4 mg.

A U.I. não está, ainda, determinada.

Tendência para hemorragias, tendo em conta que, ou não se consome suficiente vitamina K na alimentação, ou então, a produção própria vê-se dificultada por doenças bacterianas intestinais, ou a absorção através do intestino é afetada por lesões na mucosa intestinal, ou há transtornos intestinais, hepáticos ou bifares.

As hemorragias nos tecidos subcutâneos e musculares, no intestino e noutros órgãos podem ser sintomas de falta de vitamina K.

Tendência para a hemorragia, por falta provável de protrombina. Tal estado aparece sobretudo nas doenças que provocam a obturação dos canais biliares (cálculos, úlceras, inflamações crônicas) e lesões hepáticas. A vitamina K demonstrou também a sua eficiência para as hemorragias dos vasos cutâneos, tensão alta, tendência para hemorragias nasais, profilaxia de extrações dentais e de operações da garganta e do nariz.

A vitamina K também combate a cárie.

Designações alfabética e química. Função característica

Fenômenos produzidos pela falta de vitamina

Doenças que o emprego da vitamina cura ou melhora

Vitamina B1

Aneunina.
Tiamina.
Vitamina antineurítica.
Vitamina antiberibérica.

Como a vitamina B1 participa em todos os processos metabólicos básicos, a sua falta ou insuficiência leva a graves pertubações nas funções de tecidos e dos órgãos. A principal entre elas é o beribéri, doença que afeta, principalmente, os tecidos nervosos e musculares e a troca hídrica, provocando graves lesões no coração e nos vasos sanguíneos. Embora esta gravíssima doença seja pouco freqüente, entre nós, aparecem, contudo, freqüentemente, transtornos localizados no sistema nervoso, muscular, digestivo e circulatório.

Ate agora, conhecemos como sintomas de falta da vitamina B1 no organismo humano, os seguintes:

1 Alterações nervosas: dores de cabeça (também enxaqueca), fadiga, cócegas nas mãos e nos pés, insônia, suores, reflexos defeituosos, hipotermia.

2. Alterações digestivas: inapetência, vômitos, náuseas, falta de ácido clorídrico no suco gástrico, debilidade no funcionamento do estômago e dos intestinos, prisão de ventre.

3. Alterações musculares: fraqueza geral, atrofia muscular, sintomas de paralisia, cãibras nas pernas.

4. Alterações circulatórias: apertos do coração, palpitações, dilatação cardíaca, debilidade cardíaca.

Beribéri. Esta clássica doença carencial da vitamina Bi, é muito rara no mundo ocidental. Praticamente, são mais importantes as fases iniciais, inaparentes e difíceis de diagnosticar, causa principal da debilidade geral, inapetência, astenia, fadiga e apatia.

Atualmente, a vitamina B1 emprega-se só ou combinada com outros fatores do grupo de vitaminas 13 e outros específicos para os seguintes tipos de doença: inflamação dos nervos de qualquer tipo. paralisia nervosa e muscular, seqüelas diftéricas, paralisia infantil, herpes, doenças da

gravidez, depressões e estados de deficiência mental. Nas crianças em desenvolvimento intelectual, é necessária a administração de 2 mg de aneurina, por dia.

Designações alfabética e química. Função característica

Modo de atuação

Fontes naturais

Necessidades diárias rio homem

Vitamina B2

Lactoflavina. Riboflavina.
Vitamina do crescimento.
Substância de proteção.

Na adolescência, a vitamina B2 fomenta o crescimento e o aumento de peso. Como parte constitutiva dos fermentos ativa a respiração celular. Juntamente com outros grupos de fermentos, os fermentos que contêm vitamina B2 participam nos processos de degradação e combustão dos açúcares e proteínas. O importante conteúdo de vitamina B2 da retina faz supor a sua importância para o bom funcionamento dos órgãos visuais.

levedura, grãos de cereais, legumes, frutas, queijo, ovo de galinha, leite.

Homem: 1,6 - 2,6 mg.
Mulher: 1,5 - 2,0 mg.
Durante a gravidez: uns 2,5 mg.
Durante a amamentação: uns 3,0 mg.
Crianças de 1 a 12 anos:
0,9 - 1,8 mg.
Ainda não foi estabelecida a unidade internacional.

Fator PP

Nicotinamida. Fator antipelagroso.

Como as vitaminas Bi e 132, constitua o ácido nicotínico um elemento constitutivo de importantes fermentos, transportadores de hidrogênio, que intervêm na composição e decomposição dos hidratos de carbono, dos alcoóis e dos ácidos gordurosos. O ácido nicotínico e a nicotinamida participam, além disso, na formação do sangue e tornam-se imprescindíveis para a função normal dos órgãos digestivos, do sistema nervoso e da pele. Para muitos seres minúsculos vivos, especialmente as bactérias, é esta vitamina um fator de crescimento imprescindível.

Levedura, cereais, legumes, frutas.

Homem: 12 - 18 mg,
Mulher: 10 - 15 mg.
Durante a gravidez:
uns 15 mg,
Durante a amamentação:
uns 15 mg.
Crianças menores de 1 ano: uns 4 mg.
De 1 a 12 anos: 6 - 12 mg.
Meninas adolescentes:
12 - 13 mg.
Rapazes adolescentes:
13-20 mg.
Ainda não foi determinada a unidade internacional.

Ácido pantogênico.

Intervém no metabolismo das proteínas e gorduras; é necessário para a desintoxicação de corpos estranhos, (por exemplo, medicamentos) e, em geral, é imprescindível para a formação e o funcionamento dos tecidos. É necessário para a conservação das características defensivas da pele e das mucosas contra as infecções e para o desenvolvimento normal dos processos metabólicos na pele e nas suas formações glandulares.

Levedura, cereais, fruta, legumes, leite.

Ainda insuficientemente conhecida:
aproximadamente 10 mg. Ainda não foi fixada a unidade internacional.

Designações alfabética e química. Função característica

Fenômenos produzidos pela falta de vitamina

Doenças que o emprego da vitamina cura e melhora

Vitamina B2

Lactoflavina. Riboflavina.
Vitamina do crescimento.
Substância de proteção.

Interrupção do crescimento e do aumento de peso, lesões na pele e na mucosa e no nervo óptico. Deve dar-se especial importância à vitamina B2 durante a gravidez e amamentação.

Diminuição de peso nos lactentes, numerosas perturbações na pele e nas rançosas e alterações visuais. Consome-se, quase sempre, a vitamina B2 de combinação com outros fatores do complexo vitamínico B.

 

Fator PP

Nicotinamida. Fator antipelagroso.

Graves perturbações no metabolismo que se estendem ao sistema nervoso, ao estômago, intestinos e à pele. O quadro clinico típico tem a designação de pelagra.

No ser humano pode apresentar os seguintes sintomas de carência:

1. Nos sistema nervoso: intranqüilidade, irritação, fadiga, amnésia, mau-humor, angústia e tendência para estados de excitação.

2. Nos órgãos digestivos: sintomas de inflamação nas mucosas da boca e do esôfago, inapetência, vômitos, diarréia, repugnância por determinados alimentos, alterações nas funções hepáticas.

3. Na pele: focos inflamatórios simetricamente situados nas mãos e nos pés, pescoço, nuca, rosto, isto é, nas partes do corpo mais expostas à luz.

Pelagra e estados análogos, doenças da pele e das mucosas devidas a insuficiências alimentares, intoxicações ou afecções de origem medicamentosa, que também podem estar localizadas na cavidade bucal ou na via digestiva.
Também os estados de depressão nervosa ou mental constituem um bom campo de aplicação do ácido nicotínico.

Ácido pantogênico.

Transtornos metabólicos, perturbações funcionais nas cápsulas supra-renais, descoloração e queda do cabelo, doenças da pele (de colaboração com outros fatores).

Doenças da mucosa bucal e inflamações e alergias das vias respiratórias e alterações funcionais no sistema digestivo e no fígado.
Doenças cutâneas de natureza inflamatória e alérgicas (eczemas, pruridos, queimaduras do sol).
Doenças dos órgãos de formação do pêlo, como queda parcial ou total do cabelo, sequidão, fragilidade e descoloração do pêlo, formação de caspa.
A cura de queimaduras e de feridas infectadas acelera-se consideravelmente, assim como a de úlceras e fissuras.

Designações alfabética e química. Função característica

Modo de atuação

Fontes naturais

Necessidades diárias no homem

Vitamina B6

A vitamina B6 é um fator necessário no metabolismo das proteínas e, por conseguinte, no geral das células. Considera-se, geralmente, como reguladora do metabolismo dos tecidos hepáticos, do sistema nervoso e da pele. Para muitos animais microscópicos, bactérias e leveduras, atua como fator de crescimento, e nos ratos, como fator que impede as inflamações cutâneas.

Leveduras, cereais, legumes verdes, leite, gema de ovo.

Ainda não suficientemente conhecidas; aproximadamente, 24 mg; U.I. ainda sem determinar.

Vitamina B12

A vitamina B12 é absolutamente necessária para a formação normal do sangue, assim como para o normal funcionamento do sistema nervoso central juntamente com outros fatores (por exemplo, ácido fólico).
Não se conhece ainda o modo exato de atuar, A vitamina B12 facilita ao corpo o aproveitamento total das moléculas proteínicas, para o que se considera, até à data, como a substância biológica mais eficaz.

Encontra-se no fígado e ainda no conteúdo do intestino humano e animal (excremento do gado vacum).

Aproximadamente, 0,5 - 1 gama (igual a 0,5 - 1/1000 mg). Unidade internacional por determinar.

Vitamina Bc Ácido folínico Ácido fólico

Juntamente com outros fatores (por exemplo, vitamina 812) o ácido fólico favorece a formação e a maturação de glóbulos vermelhos. Parece ser também necessário para o funcionamento normal das mucosas das vias digestivas.

0 ácido fólico aparece de forma complexa no leite, queijo, legumes, couve-flor e de forma mais livre nos espinafres.
Inumeráveis animais microscópicos podem sintetizar ácido fólico.

Apenas por cálculo, 0,1 - 0,2 mg ou mais.
Unidade internacional por determinar.

 

Designações alfabética e química. Função característica

Fenômenos produzidos pela falta de vitamina

Doenças que o emprego da vitamina cura ou melhora
Vitamina B6

Ao passo que nos animais se conhecem características de carência (sintomas cutâneos nos ratos, cerebrais, nervosos e de anemia em cães e macacos), não se conhecem sintomas específicos, até hoje, no organismo humano. Mas a observação clínica verificou efeitos curativos em diversas enfermidades nervosas e, sobretudo, nos vômitos, durante a gravidez. A vitamina B6 é também um fator de cura da pelagra (veja-se também o fator PP).

1. Os sintomas secundários da pelagra e do beribéri, como esgotamento, fadiga, nervosismo, irritação, cãibras de estômago, debilidade e rigidez muscular (quase sempre de combinação com a falta dos demais fatores do grupo B).

2. Graves doenças nervosas orgânicas.

3. Vômitos durante a gravidez.

4. Lesões pelos raios X.

Vitamina B12

Transtornos na formação do sangue e alterações nervosas, especialmente diminuição de hemoglobina, do número de glóbulos vermelhos, brancos e plaquetas.

1. Anemia perniciosa e outras doenças análogas (por exemplo, depois de uma operação do estômago).
2 . Estados de fraqueza depois das operações e doenças infecciosas ou gastrintestinais.

 

Vitamina Bc Ácido folínico Ácido fólico Interrupção do crescimento, diminuição de hemoglobina e do número de glóbulos vermelhos e das plaquetas necessárias para a coagulação (ver a vitamina B12). como na vitamina B12.

Designações alfabética e química. Função característica

Modo de atuação

Fontes naturais

Necessidades diárias no homem

Vitamina C

Ácido ascórbico. Vitamina anti- escorbútica

A vitamina C é um transportador de hidrogênio necessário no metabolismo celular geral. É de importância para o aproveitamento de energia no funcionamento das cápsulas supra-renais. Ativa, também, numerosos fermentos e aumenta a força das defesas naturais contra as infecções. Neutraliza os tóxicos ou diminuí-lhes os efeitos. Fomenta a capacidade de absorção de ferro e regula as funções da medula óssea. Além disso, é necessária para numerosas funções dos tecidos conjuntivos. É de igual importância geral à da vitamina B1 e tem, como esta, que desempenhar numerosas funções, no metabolismo celular.

A vitamina C encontra-se em todos os tecidos vivos. Contêm-na em grande quantidade as frutas frescas, legumes e verduras, especialmente as maçãs, limões, pimentões, groselhas, alhos e leite.

Homens: 75-100 mg.
Mulheres: 70-100 mg.
Durante a gravidez: 100 - 125 gr.
Durante a amamentação: 150 mg, aproximadamente.
Crianças: de 1-12 anos: 35 - 75 mg.
Moças: 80 mg, aproximadamente. Rapazes: 90 - 100 mg, aproximadamente.
1 U.l. é igual a 0,05 mg do ácido ascórbico cristalizado.



Designações alfabética e química. Função característica

Fenômenos produzidos pela falta de vitamina

Doenças que o emprego da vitamina cura ou melhora

Vitamina C

Ácido ascórbico. Vitamina anti- escorbútica

 

Como o organismo humano não está em condições de sintetizar a vitamina C, torna-se muito sensível a qualquer insuficiência de consumo, através da alimentação. Bem depressa aparecem perturbações no estado geral, inapetência, fraquezam, peso nas pernas, propensão para infecções e anemia. Também é afetado o crescimento. Com este completaram-se os sintomas prévios do escorbuto. O escorbuto é a doença típica da falta de vitamina C. Corresponde à doença de Moeller-Barlow, no lactente. Ambos os quadros clínicos têm como característica a apresentação, em geral, de hemorragias grandes ou pequenas. Ressalta, sobretudo, a brandura e inflamação das gengivas. Soltam-se, com freqüência, os dentes e caem. Os estados de hipovitaminose são, na prática, de maior importância, que as doenças carenciais. A tendência para as hemorragias gengivais é, geralmente, indício de falta de vitamina C. O consumo insuficiente vitamina desta vitamina pela desnaturalização dos alimentos, um desgaste maior pelo esforço, as infecções, a gravidez, a amamentação, o crescimento ou a idade, são motivos para o aparecimento de numerosos sinais de insuficiência desta vitamina C. Conhecem-se como astenia primaveril, inapetência, esgotamento rápido (físico ou intelectual), tendência para hemorragia, propensão para as infecções, transtornos digestivos, perturbações circulatórias, dores de cabeça, anemia, crescimento retardado, etc.

A vitamina C, ativadora universal das funções celulares, dispõe, naturalmente, de enorme campo de aplicações. É necessário no escorbuto e em todos os estados pré-sintomáticos desta doença, tais como: anemia geral, tendência para as hemorragias, doenças das gengivas e lesões nos dentes. Emprega-se, também, para aumentar a capacidade defensiva nas infecções e nas intoxicações. Atua favoravelmente nas doenças reumáticas e nas infecções tuberculosas, nas alterações da hematopoiese, nos órgãos de formação do sangue e na medula óssea. É necessária rios transtornos gastrintestinais e para acelerar a cura de feridas e, além disse, como complemento da alimentação, com freqüência pobre em vitamina C. O pediatra deve prescrever esta vitamina para os transtornos do desenvolvimento e da digestão, insuficiente ossificação e dificuldades na dentição. Suaviza-se a tosse renitente mediante a ingestão de grandes doses de vitamina C, encurtando-lhe o curso. Em casos de intervenções cirúrgicas, a vitamina C favorece a formação de ossos e de cartilagens e a cura das feridas.

Durante toda a gravidez e a amamentação deve-se procurar o consumo de suficiente quantidade de vitamina C, juntando à alimentação artificial do lactente, portadores naturais da vitamina (sucos de fruta). Na odontologia a vitamina C é um auxiliar excelente em todas as inflamações da mucosa, doenças das gengivas, enfraquecimento dos dentes e lesões da dentadura. As feridas, depois das extrações dentais, ficam curadas com os efeitos benéficos da vitamina C, com a máxima rapidez e o mínimo de complicações.


fonte;

Regras Fundamentais da Arte Culinária



Partilhar:

Comentários

Por: Andre | 28Jan2011 15:21:05

achei de muito valor essa pesquisa realizada......

Para poder comentar necessita de iniciar sessão.

ANTES DE NAVEGAR

 

Painel controlo
  • Email:
  • Palavra-passe:
  • Lembrar dados
  • Ir administração


AQUI VOCÊ ACONTECE

Hora Brasil


relojes web gratis


 

Índice de produtos Naturais

 

 

Músicas divinal.

 

Procura
Deus seja Louvado

Locations of visitors to this page


 

Pesquisas On-line

Um giro pelas notícias

       Leia este precioso livro

 

Bíblioteca Espírito de profecia.

 

 

Últimas Galeria
Amigos blogtok

vidaonline

ultramegatiaguinho
Sondagens
A SUA IGREJA EM DESTAQUE.
Adventista do sétimo dia
Batistas
Metodista
Congregação Cristã
Presbeterianas
Renascer
Católica
Espírita
Nenhuma igreja
Outras
Adventistas da Reforma
Adventistas da Promessa
Batista dos sétimo dia
Assembléia de Deus e segmentos.
Testemunho de Jeová
Universal do reino de Deus.
Deus amor
Outras pentecostais
Comunidades evangelicas independentes
Quadrangular
Rádios On Line

http://www.bbnradio.org/wcm4/B/Pvb.jpg

   
 

 

Criação ou Evolução?

     Uma resposta de fé 

conheça a sua velocidade
Procura
Calendário
D S T Q Q S S
   01 02 03 04 05
06 07 08 09 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30
Feeds
©2014, BlogTok.com | Plataforma xSite. Tecnologia Nacional