A voz de Deus é poderosa, faz executar exatamente o que ela fala independente do fator tempo. Quer experimentar? Entre!

-A "Grande Cidade de Nínive" | 08Jan2008 17:10:00

Publicado por: Megatomaz On-Line

http://www.shsu.edu/~his_ncp/Nineveh.jpg
    Entre as cidades do mundo antigo nos dias do reino de Israel dividido, uma das maiores foi Nínive, a capital do domínio assírio. Fundada sobre as férteis barrancas do Tigre, logo depois da dispersão da Torre de Babel, floresceu através dos séculos, até que se tornou "uma grande cidade, de três dias de caminho". Jon. 3:3.

    No tempo de sua prosperidade temporal Nínive era um centro de crime e impiedade. A inspiração havia-a caracterizado como "cidade ensangüentada... toda cheia de mentiras e de rapina". Naum 3:1. Em linguagem figurada, o profeta Naum comparou Nínive a um leão cruel, rapinante. "Sobre quem", interroga o profeta, "não passou continuamente a tua malícia?" Naum 3:19.

    Embora ímpia como havia-se tornado, Nínive não estava inteiramente entregue ao mal. Aquele que "está vendo a todos os filhos dos homens" (Sal. 33:13), e "descobre todas as coisas preciosas" (Jó 28:10), viu na cidade muitos

Pág. 266

    que estavam procurando alguma coisa melhor e mais alta, os quais, se lhes fosse dada oportunidade para conhecer ao Deus vivo, afastariam de si as más obras, e O adorariam. E assim, em Sua sabedoria Deus Se revelou a eles de maneira inconfundível, a fim de levá-los, se possível, ao arrependimento.

    O instrumento escolhido para esta obra foi o profeta Jonas, filho de Amitai. A ele veio a palavra do Senhor: "Levanta-te, vai à grande cidade de Nínive, e clama contra ela, porque a sua malícia subiu até Mim." Jon. 1:1 e 2.

    Como o profeta se pusesse a pensar nas dificuldades e aparentes impossibilidades desta comissão, foi tentado a pôr em dúvida a sabedoria do chamado. Do ponto de vista humano, parecia que nada se poderia ganhar em proclamar tal mensagem nesta cidade tão orgulhosa. Ele esqueceu por um momento que o Deus a quem servia era todo-sábio e todo-poderoso. Enquanto hesitava, duvidando ainda, Satanás sobrecarregou-o com o desencorajamento. O profeta foi tomado de grande temor, e "se levantou para fugir de diante da face do Senhor para Társis". Indo a Jope, e achando ali um navio pronto para zarpar, pagou a sua passagem, "e desceu para dentro dele, para ir com eles". Jon. 1:3.

    No encargo que fora dado, havia sido confiada a Jonas uma pesada responsabilidade; contudo, Aquele que o havia mandado ir, estava apto a sustentar Seu servo e garantir-lhe o sucesso. Tivesse o profeta obedecido sem questionar, e ter-lhe-iam sido poupadas muitas experiências amargas e teria sido abundantemente abençoado. Não obstante, na hora do desespero de Jonas o Senhor não Se afastara dele. Através de uma série de provas e estranhas providências

Pág. 267

    a confiança do profeta em Deus e em Seu infinito poder para salvar devia ser revivida.

    Se, quando o chamado lhe veio pela primeira vez, Jonas se tivesse demorado em calma consideração, teria verificado quão tolo seria qualquer esforço de sua parte para escapar à responsabilidade imposta sobre ele. Mas não por muito tempo foi-lhe permitido prosseguir tranqüilamente em sua estulta fuga. "O Senhor mandou ao mar um grande vento, e fez-se no mar uma grande tempestade, e o navio estava para quebrar-se. Então temeram os marinheiros, e clamava cada um ao seu deus, e lançavam no mar as fazendas, que estavam no navio, para o aliviarem do seu peso; Jonas, porém, desceu aos lugares do porão e se deitou, e dormia um profundo sono." Jon. 1:4 e 5.

    Enquanto os marinheiros buscavam seus deuses pagãos pedindo socorro, o mestre do navio, excessivamente angustiado, foi em busca de Jonas, e disse: "Que tens, dormente? levanta-te, e invoca o teu Deus; talvez assim Deus Se lembre de nós, para que não pereçamos." Jon. 1:6.

    Mas as orações do homem que se tinha desviado do caminho do dever, não trouxeram qualquer auxílio. Os marinheiros, impressionados com o pensamento de que a estranha violência da tempestade refletia a ira dos seus deuses, propuseram como último recurso o lançamento de sortes, "para que saibamos", disseram, "por que causa nos sobreveio este mal. E lançaram sortes, e a sorte caiu sobre Jonas. Então lhe disseram: Declara-nos tu agora, por que razão nos sobreveio este mal. Que ocupação é a tua? e donde vens? qual é a tua terra? e de que povo és tu?

Pág. 268

    "E ele lhes disse: Eu sou hebreu, e temo ao Senhor, o Deus do Céu, que fez o mar e a terra seca.

    "Então estes homens se encheram de grande temor, e lhe disseram: Por que fizeste tu isto? Pois sabiam os homens que fugia de diante do Senhor, porque ele lho tinha declarado.

    "E disseram-lhe: Que te faremos nós, para que o mar se acalme? porque o mar se elevava e engrossava cada vez mais. E ele lhes disse: Levantai-me, e lançai-me ao mar, e o mar se aquietará; porque eu sei que por minha causa vos sobreveio esta grande tempestade.

    "Entretanto, os homens remavam, esforçando-se por alcançar a terra; mas não podiam, porquanto o mar se ia embravecendo cada vez mais contra eles. Então clamaram ao Senhor, e disseram: Ah! Senhor! nós Te rogamos! não pereçamos por causa da vida deste homem, e não ponhas sobre nós o sangue inocente; porque Tu, Senhor, fizeste como Te aprouve. E levantaram a Jonas, e o lançaram ao mar, e cessou o mar da sua fúria. Temeram, pois, estes homens ao Senhor com grande temor; e ofereceram sacrifícios ao Senhor, e fizeram votos.

    "Deparou, pois, o Senhor um grande peixe, para que tragasse a Jonas; e esteve Jonas três dias e três noites nas entranhas do peixe." Jon. 1:7-17.

    "E orou Jonas ao Senhor, seu Deus, das entranhas do peixe. E disse:

    "Na minha angústia clamei ao Senhor,

    E Ele me respondeu;

    Do ventre do inferno gritei,

    E Tu ouviste a minha voz.

Pág. 269

    "Porque Tu me lançaste no profundo,

    No coração dos mares,

    E a corrente me cercou;

    Todas as Tuas ondas e as Tuas vagas passaram por cima de mim.

    "E eu disse: Lançado estou de diante dos Teus olhos;

    Todavia tornarei a ver o templo da Tua santidade.

    As águas me cercaram

    Até à alma,

    "O abismo me rodeou,

    E as águas se enrolaram na minha cabeça.

    E eu desci aos fundamentos dos montes;

    Os ferrolhos da terra correram sobre mim para sempre;

    "Mas Tu livraste a minha vida da perdição, ó Senhor meu Deus.

    Quando desfalecia em mim a minha alma, eu me lembrei do Senhor;

    E entrou a Ti a minha oração,

    No templo da Tua santidade.

    "Os que observam as vaidades vãs, deixam a sua própria misericórdia.

    Mas eu Te oferecerei sacrifício com a voz do agradecimento;

    O que votei pagarei.

    Do Senhor vem a salvação". Jon. 2:1-9.

    Jonas aprendera afinal que "a salvação vem do Senhor". Sal. 3:8. Com penitência e o reconhecimento da graça salvadora de Deus, veio o livramento. Jonas foi liberto dos perigos do profundo abismo, e foi lançado em terra seca.

    Uma vez mais é o servo de Deus comissionado para advertir Nínive. "E veio a palavra do Senhor segunda vez a Jonas, dizendo: Levanta-te, e vai à grande cidade de Nínive, e prega contra ela a pregação que Eu te disse". Desta vez ele não se deteve para questionar ou duvidar, mas

Pág. 270

    obedeceu sem hesitação. "Levantou-se Jonas, e foi a Nínive, segundo a palavra do Senhor." Jon. 3:1-3.

    Entrando na cidade, Jonas começou a pregar "contra ela" a mensagem: "Ainda quarenta dias, e Nínive será subvertida." Jon. 3:4. De rua em rua ia ele fazendo soar a nota de advertência.

    A mensagem não foi em vão. O clamor que soava através das ruas da ímpia cidade ia passando de lábio em lábio, até que todos os habitantes tivessem ouvido o assustador anúncio. O Espírito de Deus imprimiu a mensagem em cada coração, e levou multidões a tremerem por causa de seus pecados, e a se arrependerem em profunda humilhação.

    "E os homens de Nínive creram em Deus; e proclamaram um jejum, e vestiram-se de saco, desde o maior, até o menor. Porque esta palavra chegou ao rei de Nínive, e levantou-se do seu trono, e tirou de si os seus vestidos, e cobriu-se de saco, e assentou-se sobre a cinza. E fez uma proclamação, que se divulgou em Nínive, por mandado do rei e dos grandes, dizendo: Nem homens, nem animais, nem bois, nem ovelhas provem coisa alguma, nem se lhes dê pasto, nem bebam água. Mas os homens e os animais estarão cobertos de sacos, e clamarão fortemente a Deus, e se converterão, cada um do seu mau caminho, e da violência que há nas suas mãos. Quem sabe se Se voltará Deus, e Se arrependerá, e Se apartará do furor da Sua ira, de sorte que não pereçamos?" Jon. 3:5-9.

    Sendo que rei e nobres, com todo o povo, grandes e pequenos, "se arrependeram com a pregação de Jonas" (Mat. 12:41), e uniram-se em clamar ao Deus do Céu, Sua

Pág. 271

    misericórdia foi-lhes assegurada. "Deus viu as obras deles, como se converteram do seu mau caminho; e Deus Se arrependeu do mal que tinha dito lhes faria, e não o fez." Jon. 3:10. Sua condenação foi evitada; o Deus de Israel fora exaltado e honrado através do mundo pagão, e Sua lei foi reverenciada. Não seria senão muitos anos mais tarde que Nínive devia cair presa das nações vizinhas por causa do seu esquecimento de Deus e jactancioso orgulho.

    Quando Jonas viu o propósito de Deus de poupar a cidade que, não obstante sua impiedade, tinha sido levada a se arrepender em saco e cinzas, devia ter sido o primeiro a se alegrar com a estupenda graça de Deus; mas ao contrário disto, ele permitiu que sua mente se demorasse sobre a possibilidade de ser considerado um falso profeta. Cioso de sua reputação, ele perdeu de vista o valor infinitamente maior das almas nessa cidade infortunada. A compaixão mostrada por Deus para com os arrependidos ninivitas desgostou "Jonas extremamente... e ficou todo ressentido". "Não foi isso o que eu disse", argumentou ele com o Senhor, "estando ainda na minha terra? Por isso me preveni, fugindo para Társis, pois sabia que és Deus piedoso, e misericordioso, longânimo, e grande em benignidade, e que Te arrependes do mal." Jon. 4:1 e 2.

    Uma vez mais ele se rendeu a sua inclinação de questionar e duvidar, e uma vez mais foi oprimido com o desencorajamento. Perdendo de vista os interesses dos outros, e sentindo como se melhor lhe fora morrer do que viver para ver a cidade poupada, em seu descontentamento exclamou: "Ó Senhor, tira-me a minha vida, porque melhor me é morrer do que viver".

Pág. 272

    "É razoável esse teu ressentimento?" o Senhor inquiriu. "Então Jonas saiu da cidade, e assentou-se ao oriente da cidade; e ali fez uma cabana, e se assentou debaixo dela, à sombra, até ver o que aconteceria. E fez o Senhor Deus nascer uma aboboreira, que subiu por cima de Jonas, para que fizesse sombra sobre a sua cabeça, a fim de o livrar do seu enfado; e Jonas se alegrou em extremo por causa da aboboreira." Jon. 4:3-6.

    Então o Senhor deu a Jonas uma lição objetiva. Ele "enviou um bicho, no dia seguinte ao subir da alva, o qual feriu a aboboreira, e esta se secou. E aconteceu que, aparecendo o Sol, Deus mandou um vento calmoso oriental, e o Sol feriu a cabeça de Jonas; e ele desmaiou, e desejou com toda a sua alma morrer, dizendo: Melhor me é morrer do que viver".

    De novo Deus Se dirige a Seu profeta: "É acaso razoável que assim te enfades por causa da aboboreira? E ele disse: É justo que me enfade a ponto de desejar a morte".

    "E disse o Senhor: Tiveste compaixão da aboboreira, na qual não trabalhaste, nem a fizeste crescer; que numa noite nasceu, e numa noite pereceu. E não hei de Eu ter compaixão da grande cidade de Nínive em que estão mais de cento e vinte mil homens, que não sabem discernir entre a sua mão direita e a sua mão esquerda, e também muitos animais?" Jon. 4:7-11.

    Confuso, humilhado e incapaz de compreender o propósito de Deus em poupar Nínive, Jonas havia, não obstante cumprido a comissão que lhe fora dada de advertir a grande cidade; e embora o acontecimento predito não se tivesse

Pág. 273

    realizado, a mensagem de advertência não era de ninguém menos que de Deus. E ela cumpriu o propósito que Deus lhe designara. A glória de Sua graça fora revelada entre os pagãos. Os que havia muito estavam assentados "nas trevas e sombra da morte, presos em aflição e em ferro", "clamaram ao Senhor na sua angústia, e Ele os livrou das suas necessidades. Tirou-os das trevas e sombra da morte, e quebrou as suas prisões. ... Enviou a Sua palavra, e os sarou, e os livrou da sua destruição". Sal. 107:10, 13, 14 e 20.

    Cristo, durante Seu ministério terrestre, referiu-Se ao bem produzido pela pregação de Jonas em Nínive, e comparou os habitantes deste centro pagão com o professo

Pág. 274

    povo de Deus em Seus dias. "Os ninivitas", declarou Ele, "ressurgirão no juízo com esta geração, e a condenarão, porque se arrependeram com a pregação de Jonas. E eis que está aqui quem é mais do que Jonas". Mat. 12:40 e 41. A um mundo ocupado, cheio do burburinho do comércio e a altercação de transações, onde os homens estavam procurando obter tudo para si mesmos, Cristo viera; e acima da confusão, Sua voz foi ouvida como a trombeta de Deus: "Que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma? ou que daria o homem pelo resgate da sua alma?" Mar. 8:36 e 37.

    Assim como a pregação de Jonas fora um sinal para os ninivitas, a pregação de Cristo era um sinal para a Sua geração. Mas que contraste na recepção da palavra Embora em face de indiferença e de escárnio, o Salvador trabalhou sempre, até que concluiu Sua missão.

    A lição é para os mensageiros de Deus hoje, quando as cidades das nações encontram-se tão verdadeiramente em necessidade do conhecimento dos atributos e propósitos do verdadeiro Deus, como os ninivitas do passado. Os embaixadores de Cristo devem apontar aos homens o mundo mais nobre, que tem sido em grande parte perdido de vista. De acordo com os ensinamentos das Sagradas Escrituras, a única cidade que permanece é aquela cujo artífice e construtor é Deus. Com os olhos da fé os homens podem contemplar o limiar do Céu, iluminado com a glória do Deus vivo. Por intermédio de Seus servos ministradores o Senhor Jesus está convidando os homens a que se empenhem com santificada ambição no sentido de assegurarem a herança imortal. Apela para eles a fim de que acumulem tesouros junto ao trono de Deus.

Pág. 275

    Rápida e seguramente está vindo uma culpabilidade quase universal sobre os habitantes das cidades, devido ao constante aumento de decidida impiedade. A corrupção que prevalece está além do poder da pena humana descrever. Cada dia traz novas revelações de atritos, suborno e fraudes; cada dia traz seu desalentador registro de violência e arbitrariedade, de indiferença para com o sofrimento humano, de destruição brutal e perversa da vida humana. Cada dia testifica sempre mais de insanidade, assassínio e suicídio.

    De século a século Satanás, tem procurado conservar os homens na ignorância dos beneficentes desígnios de Jeová. Ele tem procurado desviar-lhes de vista os grandes fatos da lei de Deus – os princípios de justiça, misericórdia e amor aí contidos. Os homens se gloriam do maravilhoso progresso e esclarecimento do século em que estão agora vivendo; mas Deus vê a Terra cheia de iniqüidade e violência. Declaram os homens que a lei de Deus foi anulada, que a Bíblia não é autêntica; e como resultado uma maré de males, tal como não se tem visto desde os dias de Noé e do apóstata Israel, está tomando conta do mundo. Nobreza de alma, gentileza, piedade são permutadas para satisfazer a cobiça por coisas proibidas. O negro registro de crimes cometidos pelo amor ao ganho é suficiente para fazer gelar o sangue e encher a alma de horror.

    Nosso Deus é um Deus de misericórdia. Com longanimidade e terna compaixão Ele trata com o transgressor da Sua lei. E contudo, nestes nossos dias, quando homens e mulheres têm tantas oportunidades para se familiarizarem com a divina lei como revelada no Santo Escrito, o grande Governador do Universo não pode olhar com

Pág. 276

    qualquer satisfação as ímpias cidades, onde reina a violência e o crime. O fim da tolerância de Deus com os que persistem na desobediência está se aproximando rapidamente.

    Devem os homens ficar surpreendidos com uma súbita e inesperada mudança no trato do Supremo Governador com os habitantes do mundo caído? Devem eles ficar surpreendidos quando a punição segue a transgressão e a crescente criminalidade? Devem-se surpreender de que Deus leve a destruição e a morte sobre aqueles cujo ganho ilícito tem sido obtido através do engano e fraude? Muito embora o fato de que crescente luz com respeito aos reclamos de Deus tem estado a brilhar em seu caminho, muitos têm-se recusado a reconhecer a soberania de Jeová, e têm escolhido permanecer sob a bandeira negra do originador de toda rebelião contra o governo do Céu.

    A longanimidade de Deus tem sido muito grande – tão grande que quando consideramos o contínuo insulto a Seus santos mandamentos, ficamos maravilhados. O Onipotente tem estado a exercer um poder restringidor sobre Seus próprios atributos. Mas certamente Ele Se levantará para punir o ímpio, que tão ousadamente tem resistido aos justos reclamos do Decálogo.

    Deus concede ao homem um período de graça; mas há um ponto além do qual a divina paciência se esgota, e os juízos de Deus se seguem seguramente. O Senhor trata pacientemente com os homens, e com cidades, misericordiosamente dando advertências para salvá-los da ira divina; mas virá o tempo quando não mais se ouvirão súplicas por misericórdia, e o elemento rebelde que continua a rejeitar a luz da verdade será riscado, em misericórdia para com eles mesmos, e para com aqueles que de outro modo seriam influenciados por seu exemplo.

Pág. 277

    É chegado o tempo em que haverá no mundo tristeza que nenhum bálsamo humano pode curar. O Espírito de Deus está sendo retirado. Catástrofes por mar e por terra seguem-se umas às outras em rápida sucessão. Quão freqüentemente ouvimos de terremotos e furacões, de destruição pelo fogo e inundações, com grandes perdas de vidas e propriedades Aparentemente essas calamidades são caprichosos desencadeamentos de forças da Natureza, desorganizadas e desgovernadas, inteiramente fora do controle do homem; mas em todas elas pode ler-se o propósito de Deus. Elas estão entre os instrumentos pelos quais Ele busca despertar a homens e mulheres para que sintam o perigo.

    Os mensageiros de Deus nas grandes cidades não devem sentir-se desanimar com a impiedade, a injustiça, a depravação a que são chamados a enfrentar enquanto procuram proclamar as alegres novas da salvação. O Senhor aspira confortar cada um desses obreiros com a mesma mensagem que deu ao apóstolo Paulo na ímpia Corinto: "Não temas, mas fala, e não te cales; porque Eu sou contigo, e ninguém lançará mão de ti para te fazer mal, pois tenho muito povo nesta cidade." Atos 18:9 e 10. Lembrem-se, os que se empenham no ministério de salvar almas, que, conquanto haja muitos que não aceitarão o conselho de Deus em Sua Palavra, o mundo inteiro não se desviará da luz e verdade, dos convites de um Salvador perdoador e paciente. Em cada cidade, cheia como possa estar de violência e crime, há muitos que, devidamente ensinados aprendem a se tornar seguidores de Jesus. Milhares podem assim ser alcançados com a verdade salvadora e levados a receber Cristo como um Salvador pessoal.

Pág. 278

    A mensagem de Deus para os habitantes da Terra hoje é: "Estai vós apercebidos também; porque o Filho do homem há de vir à hora em que não penseis." Mat. 24:44. As condições predominantes hoje na sociedade, e especialmente nas grandes cidades das nações, proclamam com voz de trovão que a hora do juízo de Deus está próxima, e que o fim de todas as coisas terrestres é chegado. Estamos no limiar da crise dos séculos. Em rápida sucessão os juízos de Deus se seguirão uns aos outros – fogo, inundações e terremotos, com guerras e derramamento de sangue. Nós não devemos ser surpreendidos neste tempo por eventos a um tempo grandes e decisivos; pois o anjo de misericórdia não pode ficar muito tempo mais a proteger o impenitente.

    "Porque eis que o Senhor sairá do Seu lugar, para castigar os moradores da Terra, por causa da sua iniqüidade, e a terra descobrirá o seu sangue, e não encobrirá mais aqueles que foram mortos." Isa. 26:21. A tormenta da ira de Deus está-se acumulando; e subsistirão unicamente os que responderem ao convite de misericórdia, como os habitantes de Nínive pela pregação de Jonas, e se santificarem pela obediência às leis do divino Governante. Somente os justos serão escondidos com Cristo em Deus até que passe a desolação. Seja a linguagem da alma:

    "Só em Ti eu tenho abrigo,

    Aos Teus pés jaz o meu ser;

    Não me deixes, sê comigo,

    Teu conforto eu quero ter.

    "Guarda-me ó bom Salvador,

    Té o temporal passar,

    Guia-me em Teu terno amor,

    Para o eterno e doce lar."


Profetas e Reis - Ellen White

    Partilhar:

    Comentários

    Por: Luciano | 28Abr2013 15:04:55

    fico com a verdade do Senhor pois ele não mente o povo de ninive era de mais de 120.000 mil pessoas. O senhor disse mais de 120.000 mil aos quais ele teve compaixão.

    Por: eneias | 11Nov2012 15:58:17

    ola!gostaria de saber quantos habitantes tinha nínive, pois no ultimo versículo do livro de jonas, fala ki é 120.000 homens de ñ sabia dircenir a mão diereita da esquerda. quem ñ sabe dircenir isso são crianças inocentes e animais. E ja li um historiador falar que ´nínive tinha 600,000 habitantes, incluindo 120.000 crianças e animais. vc pode mim esclarecer essa duvida , estou no aguardo, fika com Deus.

    Por: Darkson araken Cavalcante Gomes | 10Out2012 15:16:57

    Gostei muito me espirou sobre sobre algumas duvidas que tinha

    Por: EV. Osmar Silvestro | 05Jun2012 03:48:53

    Muito bom gostei q DEUS o Abencoe.

    Por: Bíblia Peshitta | 22Mar2012 03:47:51

    Amados,

    Pesquisem os erros e contradiçoes que existem nas bíblias que circulam hoje.

    Pesquisem a origem do nome deus = zeus (grécia).

    Nome não muda! O nome verdadeiro do senhor é Yeshua (Eu Sou Salvação) e não o nome de jesus.

    Orem ao Adonai (Senhor) Elohím (Criador), Pesquisem, busquem pois o povo do Senhor carece pela falta de conhecimento.

    Por: Renato duarte da silva | 13Mar2012 00:08:15

    Achei esse estudo muito bom isso serva para nós que muitas das vezes queremos que aquelas pessoas que mataram alguem que elas morram se se arepender. e na verdade deus ele não quer isso mais quer dar uma chance para todos.

    Por: ronaldo | 29Nov2011 08:57:11

    GOSTEI MUITO DO ESTUDO MAIS QUERIA SABER MAIS DETALHES DA CIDADE USO COSTUMES

    Por: idelso antonio do nascimento | 30Set2011 14:59:48

    bom servir, a DEUS, PODER SABER MAIS DELE.

    Por: aluzio | 27Ago2011 14:22:00

    muito bom é de bom valor a pesquisa DEUS te abençoe

    Por: pr. josé luiz soares | 13Ago2011 21:25:47

    magnifica a pesquisa

    Por: lilian | 26Abr2011 13:01:34

    muito bom,vamos acordar!temos que levar a PALAVRA DE DEUS à muitos ninivitas deste século.

    Por: Thiago | 25Jul2010 03:12:07

    Parabéns por esse estudo. As vezes olho para este livro e me coloco no lugar de jonas, pois achamos que aqueles que nos perseguem, que nos mal-dizem, não merecem a graça salvadora de Deus...e estamos totalmente errados mediante a Palavra de Deus.....que o Senhor te abençoe a cada dia de sua vida.....

    Por: marcos | 11Jul2010 23:20:33

    o mundo esta tomando um rumo bem diferente daquele q Deus desejava para ele, o mundo esta indi de mal a pior o senhor dos exercitos geova e o seu nome esta voltando para resgata a sua igreja que ele mais ama

    Por: Renata Moreira | 28Jun2010 14:48:56

    achei muito interessante esse estudo quantos crentes nõ sabendo explicar verdadeiramente a excencia dessa palavra falando de qualquer maneira, como homem ser humano que eraJonas ele temeu , tambem não era pra menos uma cidade tão violenta como essa foi natural que Jonas estivesse com medo

    Por: silva | 27Mai2010 20:47:15

    q bom ese estudo q DEUS abensoi vc amado

    Por: bruna | 20Mar2010 04:23:37

    muito bom este estudo, o povo ninivita também jogava os missionários na bacia de gordura fervente, faziam piramides com as cabeças dos profetas, cortavam o nariz braços...em fim, era muito difícil pregar o evangelho lá, por isso o medo do profeta jonas, porém quando Deus manda, é porque ELE está no controle!!! ELE é fiel1 Amém.

    Para poder comentar necessita de iniciar sessão.

    ANTES DE NAVEGAR

     

    Painel controlo
    • Email:
    • Palavra-passe:
    • Lembrar dados
    • Ir administração


    AQUI VOCÊ ACONTECE

    Hora Brasil


    relojes web gratis


     

    Índice de produtos Naturais

     

     

    Músicas divinal.

     

    Procura
    Deus seja Louvado

    Locations of visitors to this page


     

    Pesquisas On-line

    Um giro pelas notícias

           Leia este precioso livro

     

    Bíblioteca Espírito de profecia.

     

     

    Últimas Galeria
    Amigos blogtok

    vidaonline

    ultramegatiaguinho
    Sondagens
    A SUA IGREJA EM DESTAQUE.
    Adventista do sétimo dia
    Batistas
    Metodista
    Congregação Cristã
    Presbeterianas
    Renascer
    Católica
    Espírita
    Nenhuma igreja
    Outras
    Adventistas da Reforma
    Adventistas da Promessa
    Batista dos sétimo dia
    Assembléia de Deus e segmentos.
    Testemunho de Jeová
    Universal do reino de Deus.
    Deus amor
    Outras pentecostais
    Comunidades evangelicas independentes
    Quadrangular
    Rádios On Line

    http://www.bbnradio.org/wcm4/B/Pvb.jpg

       
     

     

    Criação ou Evolução?

         Uma resposta de fé 

    conheça a sua velocidade
    Procura
    Calendário
    D S T Q Q S S
          01 02
    03 04 05 06 07 08 09
    10 11 12 13 14 15 16
    17 18 19 20 21 22 23
    24 25 26 27 28 29 30
    31
    Feeds
    ©2014, BlogTok.com | Plataforma xSite. Tecnologia Nacional